segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

ÓLEO DE COCO: BENEFÍCIOS


Os benefícios associados ao consumo do “Óleo de Coco” são reconhecidos e valorizados pela Medicina Ayurveda na Índia há quase três mil anos. Em sânscrito, o coqueiro é chamado de “kalpa vriksha”, que significa “árvore que fornece tudo que é necessário para a vida”.
 

10 MOTIVOS PARA CONSUMIR O ÓLEO DE COCO
 
1 - Ação  Antioxidante - Colabora na diminuição da produção de radicais livres. Isto se deve principalmente a ação direta da vitamina E presente no “óleo de coco extra virgem”. Contrário a outras gorduras, principalmente em relação aos óleos poliinsaturados, a gordura de coco diminuiu as necessidades de vitamina E do organismo.
 
2 - Colesterol - Ajuda na redução do mau Colesterol – LDL e evita que o mesmo se oxide. Por outro lado, promove a elevação do bom Colesterol - HDL contribuindo assim na prevenção e tratamento das doenças cerebrais e cardiovasculares.
 
3 - Emagrecimento - De fácil absorção, a gordura de coco é a melhor fonte de TCM (Triglicerídeos de Cadeia Média), não necessita de enzimas para sua digestão e metabolismo. No fígado, estes triglicerídeos rapidamente se transformam em energia, desta maneira não se depositam no organismo. Por isso ela é considerada “termogênica”, ou seja, capaz de gerar calor e queimar calorias. Esta propriedade, aliada a capacidade que a gordura de coco tem de estimular a glândula tireoide, aumenta o metabolismo basal e, consequentemente: EMAGRECE!
 
4 - Sistema Imunológico - Atua na prevenção e no combate aos vermes, bactérias e fungos, restabelece a energia “roubada” por estes agentes. Consequentemente melhora a absorção dos nutrientes aumentando todas as defesas do organismo. A gordura de coco apresenta a maior concentração de ácido láurico, dentre todas as gorduras vegetais. No organismo o ácido láurico é convertido em monolaurin que tem ações para combater inúmeras infecções. (de carbono dos ácidos graxos).
 
5 - Função Intestinal - Tanto nos casos de prisão de ventre ou mesmo nas diarreias, os componentes da gordura de coco agem normalizando/regulando as funções intestinais. Ao mesmo tempo o ácido láurico, através do monolaurin, ajuda a eliminar as bactérias patogênicas (inimigas), protegendo e favorecendo o crescimento da “flora amiga”.
 
6 - Tireoide - Melhora o funcionamento da TIREÓIDE, tendo ainda ação “Anti-Envelhecimento” - Estudos realizados há mais de 30 anos comprovaram que a gordura de coco estimula a função da glândula tireoide. O bom funcionamento da Tireoide faz com que especificamente o mau colesterol – LDL, através do processo enzimático, produza os hormônios antienvelhecimento – Dhea, Pregnenolona, Progesterona. Todas estas substâncias são necessárias na prevenção de doenças cardiovasculares, senilidade, obesidade, câncer dentre outras doenças crônicas relacionadas à idade.
 
7 - Ação Cosmética - A gordura de coco pode ser aplicada diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos, funcionando com um “condicionador” natural. Além de hidratar a pele e não conter radicais livres, previne rugas numa verdadeira ação antienvelhecimento. Isto se deve a “lubrificação” da pele, permitindo que os nutrientes do sangue cheguem até ela.
 
8 - Ação Dermatológica - Além do poder bactericida na pele, pode ser utilizada como cicatrizante de feridas, picadas de insetos, alívio em queimaduras e, sobretudo nos eczemas e dermatites de contato, bem como no tratamento do herpes e candidíase.
 
9 - Diabéticos - Controla a compulsão por carboidratos – Assim como os alimentos ricos em fibras ajudam a manter níveis estáveis de insulina no sangue, consequentemente facilitando a vida dos diabéticos, a gordura de coco proporciona uma sensação de saciedade ainda maior e, acima de tudo não estimula a liberação de insulina, contribuindo desta forma para diminuir o “craving” compulsão por carboidratos, principalmente a doces. Contrário aos demais óleos poliinsaturados que dificultam a entrada da insulina e nutrientes para dentro das células, deixando-as literalmente “famintas”, a gordura de coco “abre as suas membranas”, não somente permitindo que os níveis de glicose e insulina se normalizem, como também melhorando sua nutrição, restabelecendo os níveis normais de energia.
 
10 - Fadiga Crônica e Fibromialgia - Até recentemente estas duas entidades não eram reconhecidas pela medicina tradicional. Somente agora após uma grande divulgação na mídia da melhora clínica de milhares de pacientes, é que o tradicional “stablischment”, deu mão a palmatória, chegando mesmo a ser reconhecida pelo FDA, quando liberou um medicamento para combater este mal. Estas duas entidades muitas vezes se confundem e, há autores que afirmam que ambas têm a mesma etiologia. Porém a esmagadora maioria da classe médica ainda insiste em afirmar que estas duas afecções são na realidade um quadro depressivo mascarado, devendo por isso mesmo ser tratada com antidepressivos. Enquanto na Fibromialgia predomina o sintoma DOR, na Síndrome da Fadiga Crônica, predomina o Cansaço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário