quinta-feira, 31 de março de 2011

OLEO DE CÁRTAMO X ÓLEO DE COCO

Os dois produtos contêm ômega-9, que é o ácido graxo oleico - o mesmo encontrado no azeite de oliva e no abacate - e que possui propriedade de metabolização da gordura corporal e também do colesterol. Ou seja, eles realmente fazem o metabolismo de gordura acelerar e, conseqüentemente, ajudam na queima de gordura corporal.
O fato de fazer efeito, principalmente na área da cintura, se deve também ao ômega-9, pois estudos mostram que esse ácido graxo diminui a produção de cortisol, uns dos hormônios responsáveis pela armazenagem de gordura nessa região.

ÓLEO DE CÁRTAMO
Rico em ácidos graxos poli-insaturados e monoinsaturados, o óleo de cártamo tem a propriedade de promover estímulos de saciedade por aumentar a leptina, hormônio resistente em obesos. Ele contém ômega-6, o ácido linoleico, que protege contra o câncer, formação de placas de colesterol nas artérias e diabetes tipo 2. Além disso, acredita-se que este ácido graxo esteja relacionado às alterações corporais promovendo redução de gordura e aumento de massa muscular, podendo estar ligado à redução do tecido adiposo e aumento da lipólise.
No entanto, o ômega-6 está em excesso na nossa dieta, já que grande parte da população consome fontes alimentares desse nutriente. Ingerimos ômega-6 quando comemos carne vermelha, óleo de soja, peixes e sementes oleaginosas. Para o ômega-6 ter esse efeito maravilhoso sobre o nosso organismo, ele precisa estar em equilíbrio com o ômega-3.

ÓLEO DE COCO
Além do ômega-9, encontramos também o Triglicerídeo de Cadeia Média (TCM), que não é armazenado como forma de gordura por ser facilmente absorvido pelo intestino e, com isso, “obriga” o organismo a utilizar a gordura acumulada como fonte de energia. Estudos apontam que o TCM ainda tem a capacidade de reduzir os níveis de LDL, balancear os níveis do bom colesterol no sangue (HDL) por apresentar fácil metabolização e baixa capacidade de oxidação.
É indicado para atletas, pessoas que queiram diminuir a quantidade de gordura corporal . Por ser rico em vitamina E, mantém as características de óleo sem sofrer oxidação, se tornando um potente antioxidante para o organismo, exercendo fator protetor.
O óleo de coco contém também ácido láurico, ácido graxo de cadeia média que, no corpo humano, se transforma em monolaurina. Encontrado também no leite materno, ele tem a função de exercer forte ação antibacteriana, antiviral e antiprotozoária, combatendo vários micro-organismos maléficos ao ser humando, como Cândida Albicans, Citomegalovirus, Clamídia, Estreptococos, Giárdia, Helicobacter pylori, Herpes. O ácido láurico também possui efeito termogênico, pois acelera o metabolismo, e aumenta a sensação de saciedade, contribuindo para o menor ganho de peso.
Além disso, o coco contém ácido cáprico, que se transforma no organismo em monocaprina, um composto com propriedades antimicrobianas e antivirais.

VINAGRE DE MAÇÃ: BENEFÍCIOS PARA SAÙDE

O vinagre de maçã natural é proveniente de uma fruta há muito apreciada e possui mais de trinta elementos nutritivos fundamentais, mais de uma dúzia de sais minerais e enzimas essenciais, ferro, vitaminas B12, ácido fólico (bom no combate a anemia) e elementos antioxidantes (combatem os radicais livres que produzem a decrepitude do corpo). Possui também qualidades anti-sépticas (mata os micróbios infecciosos) e antibióticas (contêm bactérias inimigas dos microorganismos deletérios). O vinagre de maçã natural extrai todos os minerais da maçã e do açúcar mascavo.
O vinagre de maçã natural é rico em sais de primeira importância para os processos bioquímicos do corpo, entre os quais o ácido málico, que entre outras funções, faz parte do chamado “ciclo de Krebs”, que sintetiza um conjunto de reações bioquímicas responsáveis pela produção de energia no interior das células. Ele ajuda também na absorção dos nutrientes e, ao mesmo tempo, combate bactérias do aparelho digestivo; evita a obstipação intestinal, apontada como a principal causa de muitas doenças, pois o vinagre de maçã natural ajuda na eliminação de substâncias tóxicas, produto da má alimentação e poluição ambiental, que se alojam no intestino e fígado. Nele também encontramos a pectina que auxilia nos processos digestivos, reduzindo extraordinariamente o colesterol e outras gorduras densas.
O vinagre de maçã natural é altamente diurético, ajuda na eliminação do excesso de líquidos. Possui qualidade antioxidante, antiinflamatória e antibiótica excelentes e controla o equilíbrio do pH do sangue e da pele.
Se o vinagre de maçã é benéfico em todas as idades, como elemento preventivo de acúmulo excessivo de cálcio e substâncias terrosas obstrutoras do sistema, mais útil ainda é para aqueles que em todas as circunstâncias, já se aproximam ou se encontram na 3ª idade, e ou estão doentes.

Sugestão de Consumo
Médicos naturalistas recomendam que se faça uso de 2 colheres de sopa de vinagre de maçã natural misturado à água antes ou após as refeições regularmente.

quarta-feira, 30 de março de 2011

NOZ MACADÂMIA: A RAINHA DAS NOZES


A noz macadâmia, além do seu sabor e textura incomparáveis é rica em proteínas, minerais como: potássio, fósforo, magnésio, cálcio, vitaminas B1, B2 e PP, além de óleos insaturados e pode ser considerada como um alimento funcional, pois seus componentes fisiologicamente ativos promovem benefícios maiores que seus nutrientes básicos. Uma dieta alimentar contendo macadâmia promove boa saúde, longevidade e redução de doenças degenerativas.

Pesquisas desenvolvidas pela University of Newcastle, demonstraram uma melhora significativa nos marcadores para estresse oxidativo, reduzindo a tendência à formação de coágulos e inflamação. Estudos conduzidos separadamente na Austrália e no Hawai, demonstraram uma redução significativa nos níveis de colesterol LDL (colesterol ruim) e de triglicerídeos totais.

A noz macadâmia apresenta em sua composição, um grupo de substâncias químicas complexas e inter-relacionadas, denominadas fitoquímicos, que têm função importante no metabolismo e que podem modificar fatores de risco para um enorme número de doenças. A principal classe de fitoquímicos presentes na macadâmia são os antioxidantes (caçadores de radicais livres e que podem minimizar a ocorrência de doenças degenerativas, doenças cardiovasculares entre outras).

A macadâmia pode ser consumida in natura ou tostada com ou sem sal e possui características culinárias que permitem a sua utilização como “snacks”, em bolos, tortas, sorvetes, combinada com chocolate, bombons, “cookies”, molhos, cremes, e em diversos pratos sofisticados elaborados com carnes, aves e peixes.

SALADA DE MACADÂMIA E FRANGO

Ingredientes
1 peito de frango cozido e desfiado (gelado)
50 g de massa fresca tipo ravioli ou capeleti
1 cabeça pequena de alface (ou endivias)
½ lata de abacaxi cortado em cubos
1 kiwi fatiado
1/2 xícara (chá) de noz macadâmia (torrada e salgada) picadas
1 colher (sopa) de semente de gergelim torrada
1 colher (sobremesa) de alho em flocos torrado
Cerejas vermelhas para decorar

Molho 
4 colheres (sopa) de vinagre branco
sal a gosto
1 pitada de pimenta-do-reino (opcional)
1 pitada de salsinha e cebolinha finamente picadas
1 colher (sopa) mostarda
4 colheres (sopa) de azeite

Modo de Fazer
Rasgue a alface (endívias) em pedaços. Salpique o frango, a macadâmia, o abacaxi, o kiwi, a massa, o gergelim e o alho. Misture todos os ingredientes do molho numa vasilha e acrescente à salada.

terça-feira, 29 de março de 2011

PISTACHE: BENEFÍCIOS


Muito consumido como petisco, o pistache é um alimento repleto de nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo como um todo, e deve ser introduzido ao cardápio do dia a dia.

O primeiro grande benefício dessa semente é a quantidade de vitamina B6 que contém (1,27 mg a cada 100g). Esse nutriente auxilia na formação dos neurotransmissores cerebrais, como a serotonina, que garante a sensação de bem estar e felicidade. Elas ainda fornecem grandes quantidades de fibras, que auxiliam na regulação do intestino e impedem o aumento do colesterol ruim (LDL).

Outros nutrientes que o pistache tem de sobra são: fósforo (responsável por acabar com a fadiga), cálcio (previne a osteoporose), potássio (que controla o sódio presente no organismo), magnésio (controla a pressão arterial e afasta a irritabilidade), vitamina E, o resveratrol e os fitosteróis (antioxidantes, que protegem as células contra a ação dos radicais livres).

O pistache pode facilmente ser incluído na alimentação diária em doces, conservas, pudins, saladas, bombons, misturado ao queijo cottage e a demais alimentos.

PENNE COM GORGONZOLA E PISTACHE

Ingredientes
750 g de Penne
200 g de queijo gorgonzola
500 ml de creme de leite fresco
150 g de pistache
1 colher (sobremesa) de cebola
1 colher (sopa) de manteiga


Modo de Fazer
Leve a água do macarrão ao fogo, enquanto isso prepare o molho. Refogue a cebola na manteiga, quando dourar, acrescente o queijo em pedaços e mexa até derreter. Coloque o creme de leite, mexendo mais um pouco. Leve ao liquidificador com os pistaches sem casca. Bata até picar os pistaches e leve para aquecer novamente. Cozinhe o macarrão com pouco sal e um fio de azeite. Assim que escorrer, misture com o molho. Sirva imediatamente


GERGELIM: BENEFÍCIOS


Esta pequena semente de sabor requintado e especial possui elevado valor nutricional, em virtude de quantidades significativas de vitaminas, principalmente do complexo B, vitamina E (poderoso antioxidante) e de minerais como: cálcio, ferro, fósforo, potássio, magnésio, sódio, zinco e selênio.

A semente fornece óleo muito rico em ácidos graxos insaturados (de origem vegetal), oléico e linoléico e alfa-linolênico. O ácido graxo ômega 6 presente em maior quantidade auxilia no controle do colesterol total e LDL (colesterol ruim), podendo aumentar o bom colesterol (HDL) quando consumido em grandes quantidades.

A semente do gergelim pode ter a colocação preta, bege ou branca, sendo que a preta possui mais cálcio e vitamina A. Pode-se encontrar com ou sem casaca para consumo, e neste caso o valor nutricional varia muito pouco, não interferindo na escolha. Podemos utilizar o gergelim em massas de pães, bolos, biscoitos, suflês, doces, patês, canapés, saladas, sucos, etc.

O consumo máximo diário recomendado é de 1 colher de sopa (15g) devido ao seu valor calórico (95 kcal).

MOLHO DE GERGELIM E HORTELÃ

Ingredientes
½ xícara (chá) de água
2 colheres (sopa) de gergelim torrado
1 colher (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
8 colheres (sopa) de tahine
½ xícara (chá) de suco de laranja
1 dente de alho amassado
1 xícara (chá) de hortelã picado
sal, se necessário

Modo de Fazer
Coloque no liquidificador o azeite, a tahine, o suco de laranja, o alho e a água. Bata até obter um creme. Junte a hortelã, o açúcar, o sal e bata rapidamente. Despeje em uma molheira e polvilhe as sementes de gergelim. Sirva com quibe assado. 
Obs: Se preferir substitua o açúcar pelo adoçante.