segunda-feira, 27 de outubro de 2014

PSYLLIUM E SEUS BENEFÍCIOS

O Psyllium é uma fibra solúvel extraída de uma planta ( Plantago psyllium, Plantago areana ou Plantago ovata), com flores brancas agrupadas em espigas na ponta de pequenas hastes. Cresce nos solos áridos e arenosos do Mediterâneo.

Benefícios do Pysillium

O Psyllium por ser rico em fibra do tipo solúvel possui uma enorme capacidade de reter água, a qual proporciona a formação de um gel viscoso, capaz de ligar-se a moléculas de proteínas e carboidratos simples (açúcares), aumentando o volume fecal, que por sua vez aumenta o lúmen intestinal.

O Psyllium também foi estudado em relação aos seus efeitos sobre a saciedade em dietas de baixa caloria. No estudo verificou-se que pelo fato de ocorrer um aumento na viscosidade do alimento quando em contato com as fibras solúveis do Psyllium, reduz-se conseqüentemente a interação entre os nutrientes dos alimentos e as enzimas digestivas, bem como, ocorre um retardamento na absorção de alguns substratos energéticos pelo intestino.

Outro importante efeito do Psyllium, refere-se a capacidade laxativa, uma vez que ele facilita a propulsão do cólon, bem como permite que as fezes tornem-se mais úmidas do que com outras fibras. Um estudo verificou que o gel do Psyllium escapa da fermentação microbiana ao contrário do que ocorre com outras fibras viscosas.

O efeito do Psyllium sobre às doenças crônico-degenerativas, foi analisado em um estudo onde ocorreu uma suplementação de Psyllium por longo prazo na dieta de homens e mulheres com hipercolesterolemia (colesterol alto) e com diabetes tipo 2 e resultou em um decréscimo do colesterol sérico total, diminuindo o colesterol-LDL e o diabetes e aumentando o colesterol-HDL.

Concluindo, o Psyllium é uma ferramenta adicional na alimentação das pessoas que apresentem problemas de função intestinal, devido a sua capacidade laxativa, ou pessoas que estejam ingerindo dieta baixa caloria e com isto necessitem aumentar a saciedade, e porque não falar em relação a prevenção de doenças crônico-degenerativas, entretanto a indicação de uso não deve ser indiscriminada e preferencialmente deve ser seguindo as recomendações de um médico ou nutricionista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário